top of page
  • Foto do escritorPSR

Projeto META II: em cerimônia oficial, CCEE e PSR lançam estudo sobre formação de preços

Atualizado: 18 de set. de 2023

Iniciativa visa analisar aprimoramentos no modelo de precificação do mercado de curto prazo e subsidiar tomadas de decisão futuras


Fonte: CCEE



A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE e a PSR anunciaram nesta quinta-feira (29) o início oficial do “estudo sobre a formação de preço de energia elétrica de curto prazo: uma análise do mercado brasileiro”, em uma cerimônia realizada na sede da organização, em São Paulo. Com duração de 30 meses, a iniciativa irá avaliar possíveis aprimoramentos do atual modelo de precificação do país e contrapor benefícios e desafios de sua eventual substituição por abordagens alternativas. A pesquisa é parte do Projeto META II, desenvolvido pelo Ministério de Minas e Energia – MME e o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento – BIRD.


No encontro, que reuniu executivos e colaboradores de ambas as responsáveis pelo trabalho, bem como autoridades da Empresa de Pesquisa Energética – EPE, a vice-presidente do Conselho de Administração da CCEE, Talita Porto, reforçou sua grande expectativa para o desenvolvimento da ação. Para ela, “formamos um consórcio muito competente, que concentra universidades e instituições nacionais e internacionais. Eu acredito que em um ano e meio teremos as diretrizes para informar o poder concedente sobre a nossa recomendação para o futuro da formação de preços no Brasil.”

Luiz Barroso, Diretor-Geral da PSR, destacou a grande responsabilidade de subsidiar a tomada de decisão relativa a um tema que o mercado brasileiro de energia discute há mais de 20 anos. “É um estudo de enorme importância, com o qual nos comprometeremos em conjunto com a equipe extremamente qualificada da Câmara de Comercialização”, afirmou ele durante a cerimônia.


A CCEE firmou a contratação da PSR em maio deste ano. O Projeto Meta II decorre de acordo de empréstimo do MME com o BIRD, num montante aproximado de US$ 38 milhões em investimentos, dos quais R$ 33 milhões são destinados à Câmara, para este e outros 3 projetos. A ação fortalece o papel de coordenação ministerial, já que os participantes não desembolsam contrapartidas financeiras e atuam em conjunto com o Ministério.

111 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page